A beleza

Pra alguém de origem simples
sem floreio e picardia,
a beleza é um atributo
de bem pouca serventia.

(Quanta eguada de respeito
carnaça em morfologia,
não alcança, numa pista,
uma porca dando cria).

...e tem gente que se importa
se inquieta e se atormenta,
indo atrás de modismos
usando qualquer ferramenta.

Não enxergam que a beleza
não é um dom que se inventa,
- que encilha linda não ajeita
o andar de uma jumenta!

Homem, mulher, mais mocitos...
não há idade ou riqueza,
cada um vai do seu jeito
inventando uma beleza.

E até quem não precisa:
- Cada rosto de princesa!..
...exageram nas pinturas
renegando a natureza.

E não sabem outros tontos
não enxergando o valor,
daquilo tão importante
do conteúdo interior!...

Da humildade, da verdade,
(sentimentos sem rancor),
e esquecem o quanto é belo
um peito pleno de amor!

De mim, eu falo pouquinho
e deixo vocês apreciando...
que a minha maior beleza
eu trago na veia pulsando:
- sangue sulino avoengo,
orgulho que vou entoando...
- Sou gaúcho...Que lindeza!..
...e fica pouco me faltando.

Marcio Nunes Corrêa

Esta poesia ainda não possui comentário. Clique aqui para ser o primeiro a comentar.

Não quer ficar
no campo?
Voe para a cidade.



Marcio Nunes Corrêa - Vida no Campo: Querência | Raízes | Vivências | Regalos | Retratos | As novas | Opinando... | Versos | Campo lindeiro | Marcas | Chasque
Marcio Nunes Corrêa - Vida na Cidade: Home | Quem sou | Atividade Profissional | Fotos | Notícias | Crônicas | Poesias | Palavra dos amigos | Contato

Todos os direitos reservados | Marcio Nunes Corrêa